O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado ao The Northern Women’s Art Collaborative (Universidade de Brown, EUA) e
à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Vinculado ao Programa de Pós Graduação em Ciências das Religiões da Universidade Federal da Paraíba. Registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br


quinta-feira, 31 de outubro de 2013

MONUMENTO PRÉ-VIKING É DESCOBERTO NA SUÉCIA

Arqueólogos suecos anunciaram nesta sexta-feira (18) a descoberta do maior monumento da Idade do Ferro do país, na região do Velho Upsal, anterior à era viking.



Os pesquisadores se preparavam para escavar o solo para a construção de uma nova linha de trem, 70 km ao Norte de Estocolmo, quando se depararam com duas fileiras de pilares de madeira.
Lena Borenius-Joerpeland, arqueóloga do Conselho Nacional Sueco do Patrimônio, indicou que o monumento, perto de uma necrópole da Idade do Ferro escandinava, parece remontar ao século 5. 
A maior das duas fileiras tem um quilômetro de extensão e conta com 144 pilares. A outra tem a metade disso. "Os pilares eram altos, talvez medindo entre oito e dez metros", explicou Lena.
"Eram vistos a uma grande distância e, provavelmente, marcavam o acesso ao Velho Upsal", prosseguiu. "Poderia se tratar de uma demarcação territorial ou religiosa", acrescentou.



Hoje só se encontram conservados alguns restos de pilares, e os buracos nos quais eles estavam colocados. Na Idade do Ferro na Escandinávia, o Velho Upsal era um importante centro de comércio, religião, artesanato e administração judicial.
Os arqueólogos encontraram também ossos de cavalos, vacas e porcos nos buracos dos pilares: provas, segundo eles, de que ali eram sacrificados animais.
No entanto, quem ergueu o monumento e com que propósito permanece um mistério. "Poderia ser um marco territorial ou uma demarcação religiosa", disse.

Fonte: Notícias UOL.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

NOVA EDIÇÃO DO NOTÍCIAS ASGARDIANAS



O boletim NA (Notícias Asgardianas) está com nova edição, n. 5, confiram o conteúdo:


- Editorial: pg. 3.
- Entrevista com Neil Price, arqueólogo e especialista em Era Viking: pg. 5.
- Ensaio: As espadas Ulfberht, a lendária espada viking: pg. 12.
- Resenha: pg. 18
- Notícias de estudos escandinavos: pg. 21.
- Notícias de Arqueologia Escandinava: pg. 29.

- Notícias de outros grupos: pg. 34.


sábado, 12 de outubro de 2013

MESTRADO SOBRE REALEZA NÓRDICA NA PUC-SP

O Programa de Pós Graduação em História da PUC-SP recebeu a apresentação pública da dissertação de Mestrado Godkynningr: o rei escandinavo como ponte entre deuses e humanos, de Munir Lutfe Ayoub, no dia 9 de outubro. A banca foi composta pelos professores doutores Johnni Langer (UFPB), Ettore Quaranta (PUC-SP) e Yvone Dias Avelino (PUC-SP).




Munir é membro do NEVE, Núcleo de Estudos Vikings e Escandinavos e realiza estudos sobre a Escandinávia Medieval há vários anos, além de participar de eventos em estudos medievais. A pesquisa realizou um estudo comparado entre fontes literárias e arqueológicas, buscando compreender as transformações ideológicas, políticas e religiosas da realeza nórdica durante a Era Viking. A pesquisa é uma das primeiras no Brasil que aprofunda metodologicamente a relação entre fontes da cultura material no período pagão e as fontes escritas durante o cristianismo, além de conceder algumas discussões historiográficas ainda pouco conhecidas no país, como a questão da realeza sagrada. Munir atualmente desenvolve um projeto de doutorado, com o intuito de aprofundar-se no tema da religiosidade da Escandinávia medieval.


O sacrifício de Domaldi, um dos temas analisados pela dissertação de Munir

Resumo  da dissertação: O presente trabalho por meio de uma metodologia comparada entre as fontes literárias e arqueológicas buscou compreender as modificações ocorridas nas praticas cultuais que possibilitaram a forja de ideais, de legitimação e a formação das funções das realezas escandinavas, além de buscar as funções e ânsias que esses homens tinham sobre seus deuses. Evidenciando por fim a importância dos antigos costumes nórdicos e da mitologia nórdica como instrumento de legitimação e de criação de poderes sociais, contribuindo para a compreensão de um período onde rito, mito e os poderes sociais estavam em plena conexão, relações essas que marcariam o período Viking na Escandinávia. Tendo assim sua baliza temporal inserida entre os séculos VIII e X sendo o primeiro o século no qual surgiram as primeiras realezas escandinavas e o segundo o século no qual os povos escandinavos começaram a sofrer um processo de conversão ao cristianismo. 



Para maiores informações e contatos com Munir Ayoub, clique aqui.