O grupo interinstitucional NEVE tem como principal objetivo o estudo e a divulgação da História e cultura da Escandinávia Medieval, em especial da Era Viking, por meio de reuniões, organização de eventos, publicações e divulgações em periódicos e internet. Conta com a colaboração de professores, pós-graduandos e graduandos de diversas universidades brasileiras, além de colaboradores estrangeiros. Filiado ao The Northern Women’s Art Collaborative (Universidade de Brown, EUA) e
à ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões). Vinculado ao Programa de Pós Graduação em Ciências das Religiões da Universidade Federal da Paraíba. Registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ. Contato: neveufpb@yahoo.com.br


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Os melhores filmes sobre vikings segundo o NEVE



Os vikings fazem parte da história do cinema desde o seu início, ocupando atenção de Hollywood quanto da Europa. Realizar uma lista de melhores filmes são é uma tarefa muito fácil, devido à grande quantidade de produções. Inquirindo os membros do NEVE, obtivemos listagens que incluem não apenas produções reconstituindo a Era Viking, mas também de períodos posteriores e mesmo do final do medievo na Escandinávia, além de outras que mesclam ficção científica e fantasia. O resultado muitas vezes é bem pessoal. Os comentários a seguir foram realizados pelo professor Johnni Langer e as listas pessoais seguem posteriormente, divididas por cada membro.

 


1.      O 13º. Guerreiro

(The 13th Warrior), produção norte-americana de 1999, dirigido por John McTiernan, baseado no romance Os devoradores de mortos, de Michael Crichton.

Sinopse: Um aventureiro árabe, ao fugir de problemas em sua cidade, envolve-se numa aventura no mundo nórdico da Era Viking, confrontando seres fantásticos chamados de Wendols.

Comentário: O filme funde elementos históricos com fantásticos, assim como o livro de Crichton, que é uma mistura do relato árabe de Ibn Fadlan com o épico anglo-saxão Beowulf. Apesar de apresentar diversos erros de reconstituição histórica, nos equipamentos bélicos, na sociedade, vestimentas, habitações, etc, o filme foi o mais votado pelos escandinavistas pelo fato de ter uma narrativa envolvente, uma ação vigorosa e uma atuação memorável de seus atores, muitos de origem nórdica (Dennis Storhøi, Sven Wollter, Turid Balke, Maria Bonnevie, entre outros). Particularmente, o filme estreitou no Brasil durante o início das novas pesquisas acadêmicas sobre Escandinávia (em 1999), o que confere também um apreço especial a ele pelos pesquisadores.

 

 

2.      Vikings, os conquistadores

(The vikings), produção norte-americana de 1958, dirigido por Richard Fleischer.

Sinopse: Dois irmãos de origem escandinava, separados no nascimento, disputam o amor pela mesma mulher – uma princesa inglesa, iniciando uma disputa que torna-se o clímax da narrativa.

Comentário: o mais famoso e importante filme com temática nórdica da história do cinema. Influenciou diretamente a moda viking cinematográfica até os anos 1970, mas ainda tendo influências estéticas mesmo em nossos dias. Faz parte da onda épica dos anos 1950, tendo a frente do elenco nomes importantes deste estilo, como Kirk Douglas – memorável no papel de Einar, assim como o ator Ernest Bornigne no papel de Ragnar – popularizando a imagem irreverente e aventureira do viking no imaginário contemporâneo. Apesar de ter auxiliado a desconstrução de diversos estereótipos sobre os escandinavos medievais – como a ausência de elmos chifrudos e a barbárie selvagem, além de uma das primeiras produções que reconstituem as vilas e as embarcações da Escandinávia (todos com assessoria de historiadores nativos desta região), o filme também contém diversos problemas historiográficos e outros erros de interpretação do passado (como o uso de bússolas magnéticas; a falta de calças em alguns personagens masculinos; a mistura de tempos históricos, como a mescla do período feudal e castelos com Alta Idade Média, etc). Ainda assim, possui cenas memoráveis e uma narrativa empolgante, típicas do cinema clássico.

 


3.      Os legendários vikings

(The long ships), produção norte-americana de 1964, dirigido por Jack Cardiff. Baseado no famoso romance Röde Orm escrito por Frank G. Bengtsson em 1941, mas influenciado esteticamente por Vikings, os conquistadores.

Sinopse: Um jovem líder viking envolve-se na busca por um lendário sino de ouro, do mesmo modo que um príncipe mouro.

Comentário: O filme é uma das poucas produções que teve como tema o encontro dos nórdicos com as populações islâmicas da África, mas também contém elementos fantasiosos. O ponto mais positivo do filme é a atuação do excepcional ator Sidney Poitier, no papel de Aly Mansuh.

 


4.      As aventuras de Erik o viking

(Erik, the viking), produção norte-americana de 1989, dirigida por Terry Jones, baseado em seu próprio livro homônimo.

Sinopse: Um viking de nome Erik, após assassinar acidentalmente uma mulher, parte em busca dos deuses nórdicos.

Comentário: A mais famosa comédia sobre o tema. Consegue manter o ritmo divertido do início ao final, trazendo diversas paródias e muita irreverência ao tratar especialmente da mitologia e religiosidade nórdica. As cenas em que o sacerdote cristão não vê a mesma realidade que os pagãos (por não acreditar nelas) é um dos pontos fortes do filme.

 


5.      O último rei

(Birkebeinerne), produção norueguesa, 2016, dirigida por Nils Gaup.

Comentário: Excelente produção fílmica norueguesa, reproduz alguns momentos da guerra civil norueguesa após a Era Viking (séculos XII-XIII d.C.). Gaup é especialista em filmes históricos retratando cenas de batalhas nórdicas em neve, como "Fugindo da morte", original: Ofelas, 1987, produção enfocando a região da Lapônia do ano mil. Entre os personagens principais da produção O último rei, está o ator Kristofer Hivju (que interpreta o personagem Tormund Giantsbane, da série Game of Thrones). A principal trama do filme é a fuga de um bebê bastardo (futuro rei Hakon IV), conduzido por dois homens, um tema icônico na cultura norueguesa (em 1869 o pintor Knud Bergslien realizou a famosa pintura "Birkebeinerne på Ski over Fjeldet med Kongsbarnet"). Se as questões políticas e sociais não são tão aprofundadas no filme, a narrativa é muito bem conduzida e as cenas de ação são excelentes. O filme possui reconstituições de batalha muito superiores a outras produções escandinavas reproduzindo o medievo, como a islandesa "O desafio de um guerreiro" (The Viking Sagas, 1995). O reinado de Hakon IV é um dos mais famosos da Noruega medieval (durou quase 50 anos). Sob seu mecenato cultural algumas das grandes produções literárias do medievo nórdico foram produzidas, como a Volsunga saga e a versão norrena de Tristão e Isolda. O título do filme, Birkebeinerne, se refere a um grupo militar-político da Noruega, criado entre os anos 1174 a 1218, originalmente criado contra o rei Magnus V da Noruega.

 


6.      A lenda de Grendel
(Beowulf & Grendel),  produção islandesa/francesa/canadense de 2005, dirigida por Sturla Gunnarsson.
 
Sinopse: O rei da Dinamarca mata um grande troll, mas deixa escapar seu filho, que depois retorna (já crescido), em busca de vingança.

Comentário: Uma das várias adaptações cinematográficas do épico anglo-saxão Beowulf, com personagens escandinavos. As filmagens na Islândia, a direção e diversos atores escandinavos conferem uma atmosfera extremamente condizente com a ambientação do relato, apesar de modificar muito a sua narrativa original. Um dos poucos filmes sobre nórdicos medievais em que todos estão caracterizados corretamente com equipamento militar da época (cotas de malhas e elmos). Destaque para a representação da feiticeira e suas práticas mágicas. É considerado por vários escandinavistas como a melhor adaptação do épico britânico.

 


7.      À sombra do corvo

(Í skugga hrafnsins), produção islandesa de 1988, dirigida por Hrafn Gunnlaugsson.

Sinopse: O personagem Trausti volta para a Islândia e se envolve com uma briga familiar, devido a um cadáver de baleia. Sua mãe é ferida e ele acaba se envolvendo amorosamente com Isold.

Comentário: Segundo filme da trilogia “viking” do diretor Gunnlaugsson, baseado na narrativa de Tristão e Isolda, mas também mesclando diversas sagas islandesas. Considerado pela crítica um dos melhores filmes abordando a questão da cristianização na Escandinávia. O diretor também utiliza de diversos elementos simbólicos relacionados com a cultura islandesa ao longo do filme, como o véu branco e o corvo negro.

 

 

8.      Em nome do Sol

(Stara basn: kiedy slonce bylo bogiem), produção polonesa de 2003, dirigida por Jerzy Hoffman.

Sinopse: No século 9 d.C., os poloneses são atacados por incursões vikings.

Comentário: Interessante filme polonês sobre o período da Alta Idade Média, mesclando elementos históricos com fantasia e sobrenatural. Os vikings aparecem de forma estereotipada, com exceção do personagem arqueiro. As cenas de ação e o roteiro em geral são razoáveis. Destaque para as cenas religiosas e as práticas mágicas.

 


9.      O desafio de um guerreiro

(The viking sagas), produção norte-americana de 1995, direção de Michael Chapman.

Sinopse: Na Islândia da Era Viking, o jovem Kjartan inicia uma jornada para vingar a morte de seu pai.

Comentário: Produção de baixo orçamento, com roteiro envolvente e personagens cativantes. As cenas de ação e batalhas são muito fracas, mas as relações familiares, os conflitos e as disputas de poder são bem condizentes com os relatos das sagas islandesas, o que confere um grande atrativo ao filme.

 


10.  O senhor da guerra

(The war lord), produção norte-americana de 1965, dirigido por Franklin J. Schaffner

Sinopse: O nobre Chrysagon recebe terras na Normandia, assolada frequentemente por ataques frísios. Ele se envolve com uma camponesa e reclama o direito de jus primae noctis, o que acaba originado conflitos com a população local.

Comentário: Apesar de não ser diretamente um filme sobre nórdicos, os frísios são retratados como vikings pagãos, inclusive portando martelos do deus Thor. O filme é magistral, tendo como protagonista um dos maiores atores épicos de todos os tempos, Charlton Heston.

 
Bibliografia:

HARTY, Kevin (Ed.). The vikings on fílm. Essas on depictions of the Nordic Middle Ages. North Carolina: McFaland & Company, 2011.

LANGER, Johnni. Fé, exotismo e macabro: algumas considerações sobre a Religião Nórdica Antiga no cinema. Ciências da Religião 13(2), 2015. Disponível aqui.

 
LISTA DE FILMES POR MEMBRO DO NEVE
 
André de Oliveira:
1. O sétimo selo, 1957
2. O 13º Guerreiro, 1999
3. Vikings, Os Conquistadores, 1958
 
Fabio Baldez Silva:
1. O 13° guerreiro, 1999
2. A maldição do anel, 2004
3. A lenda de Grendel, 2007
4. Desbravadores, 2007
 
Johnni Langer:
1. Vikings, os conquistadores, 1958
2. A vingança dos vikings, 1961
3. Os bravos tártaros, 1961
4. Os legendários vikings, 1964
5. O senhor da guerra, 1965
6. À sombra do corvo, 1988
7. As aventuras de Erik, o Viking, 1989
8. O desafio de um guerreiro, 1995
9. O 13o. guerreiro, 1999
10. O último rei, 2016
 
José Lucas Cordeiro Fernandes:
1. O 13° guerreiro, 1999
2. Os legendários Vikings, 1964
3. Vikings, os conquistadores, 1958
4. O último rei, 2016
5. Outlaw: The Saga of Gisli. 1981
6. As aventuras de Erik, o Viking, 1989
7. Os Nibelungos: A morte de Siegfried, 1924
8. Deuses Vencidos/O Viking, 1928
9. A lenda de Grendel, 2007
10. O desafio de um Guerreiro, 1995
 
Leandro Vilar Oliveira:
1. O Senhor da Guerra, 1965
2. O 13º Guerreiro, 1999
3. Erik, o Conquistador, 1961
4. O último dos vikings, 1961
5. Vikings: os conquistadores, 1958
6. Alfredo, o Grande, 1969
7. A lenda de Grendel, 2005
8. A maldição do anel, 2004
9. Príncipe Valente, 1957
10. Northmen: A Saga Viking, 2014
 
Luciana de Campos:
1. Vikings, os conquistadores, 1958
2. A fonte da donzela, 1960
3. O sétimo selo, 1957
4. Arn, o cavaleiro templário, 2007
5. Os legendários Vikings, 1964
6. Outlander, guerreiro vs predador, 2008
7. Em nome do Sol, 2003
8. O ultimo rei, 2016
9. As aventuras de Erik, o Viking, 1989
10. Kristin Lavransdatter, 1995
 
Marlon Maltauro
1. O 13o. Guerreiro, 1999
2. Vikings, Os Conquistadores, 1958
3.  A Saga de Biorn, 2011
4. A Maldição do Anel, 2004
5.  As aventuras de Erik, o Viking, 1989
 
Pablo Gomes de Miranda:
1. As aventuras de Erik, o Viking, 1989
2. Quando os Corvos Voam, 1984
3. Vikings, os conquistadores, 1958
4. A Lenda de Grendel, 2005
5. O 13o Guerreiro, 1999
6. Fora da Lei, 1981
7. O Viking Branco, 1991
8. Arn, o cavaleiro templário, 2007
9. Em nome do sol, 2003
10. A Sombra do Corvo, 1988
 
Ricardo Wagner Menezes de Oliveira:
1. A lenda de Grendel, 2005
2. Vikings, os conquistadores, 1958
3. O 13o Guerreiro, 1999
4. A lenda de Beowulf, 2007
5. Os legendários vikings, 1964